1753

Pular para o conteúdo
Última atualização:
|
Prefeitura Municipal de
Lençóis

Celebração do Dia D da dança promove 06 dias de oficinas inéditas em vários espaços culturais de Lençóis

09/05/2023 às 10h05

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


A 11ª edição do Dia D da Dança, realizada entre os dias 28 e 30 de abril e 04 e 06 de maio, promoveu diversas atividades no Mercado Cultural e outros espaços de Lençóis onde renomados professores e coreógrafos se voluntariaram para ministrar oficinas e compartilhar suas experiências com participantes de todas as idades.

O evento contou com uma programação variada com oficinas e apresentações de grupos de dança locais e convidados, que trouxeram uma grande diversidade de estilos e técnicas para o público presente.

As oficinas foram realizadas em espaços culturais distintos da cidade: Mercado Cultural, Iphan, Morada Ancestral e no Stúdio Maria Mel.

Com o objetivo de promover a dança como forma de expressão e valorização da ancestralidade, esta edição do Dia D da Dança homenageou o professor e Mestre Clayde Morgan, uma referência no desenvolvimento da arte e da dança no Brasil.

O evento também contou com a participação do grupo de dança da Ohhio State University (OSU) e o Instituto Clara Ramos que estão em turnê pela Bahia e trouxeram para o Mercado Cultural apresentações de dança clássica e contemporânea.

Além das oficinas e apresentações, o Dia D da Dança também teve espaço para debates e reflexões sobre a dança como transformação social. Os participantes tiveram a oportunidade de discutir os sentidos do corpo, da história e da ancestralidade.

O evento é realizado pelo: “Movimento Ação Dança Lençóis", e Studio do Corpo Maria Mel; com o apoio de comerciantes locais e da Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Turismo, Sec. de Cultura, Artivistas, AMA,IPHAN.


O Movimento Ação Dança Lençóis

Um projeto realizado pelo Studio do Corpo Maria Mel, que surgiu em 2010 para apresentação das suas alunas, e desde então, todos os anos, promove apresentações públicas e gratuitas em diversos locais da cidade. A iniciativa ganhou visibilidade e a cada ano vem se tornando um evento conhecido em diversos territórios da Bahia, em especial a Chapada Diamantina.

Nos anos de 2013 e 2015 foi realizado o Festival Mostra de Dança de Lençóis, contemplado pelo edital Setorial de Dança do Governo do Estado da Bahia. Com a presença de renomados dançarinos locais, baianos e internacionais, abriu espaço para capacitação, trocas e intercâmbio de saberes diversos no palco,nos bairros, praças, escolas, espalhando arte por toda a cidade.

O movimento valoriza e estimula a criação artística dos grupos locais e promove a integração com profissionais experientes. Nesses mais de 10 anos de percurso, são centenas de coreografias apresentadas, dezenas de oficinas ministradas, centenas de moradores beneficiados, principalmente crianças e jovens dos bairros periféricos de Lençóis.

Este ano de 2023, ainda sem apoio de editais, o movimento acontece de forma voluntária, contando com apoio dos comerciantes locais.

Entre as oficinas ministradas durante toda a programação do Dia D da Dança estão: 

OFICINA MOVEMENT FOR LIFE

Com Dani Augusto, a oficina Movement for Life, realizada no Iphan e no Mercado Cultural, promove a experiência de corpo e a conexão com sua história pessoal através do movimento e do cultivo do estado de presença. Pelas sensações, emoções, ritmos e a consciência da energia dos chakras, exploraremos a linguagem expressiva da alma.

Investigaremos as relações entre os participantes, o sentido do EU, como também o NÓS, o nosso instinto grupal com criações que nos ligam uns aos outros e ao mundo. Aproximar realidades e potências.

Dani Augusto é Dançarina, atriz, performer, professora, terapeuta corporal e Taróloga Alquímica. Graduada em Dança na UFBA e Pós graduada em Arte Integrativa na Anhembi Morumbi - SP. Atuou em peças e musicais, dançou no grupo TranChan e colaborou com vários Artistas da cena contemporânea. Deu aulas no Teatro Oficina em São Paulo e em Sescs incentivando que todo corpo possa dançar! Morou em SP 21 anos e está de volta a Salvador. Para mais informações, acesse seu perfil no Instagram: @daniaugusto.ds

MÉTODO GRIOTLAB: Dança, Ciência e Ancestralidade com Paco Gomes.

Na concepção do griotlab, a dança é um meio de comunicação no qual o corpo é o instrumento, e o movimento é a linguagem. Além do corpo ser o instrumento da linguagem é um invólucro da sua ancestralidade, ele é o container de sua cultura. Então por isso é que o método se propõe contar histórias através do movimento a partir do resgate dessa ancestralidade.  O método trabalha com a incorporação, quer dizer, corporizar aquilo que está dentro de nós, através de diferentes propostas.

OFICINA: Capoeira, tempo, espaço e pincéis articulares.

A capoeira como arte coreográfica e performance, a partir do método griotlab.

Possibilitar a criação/organização de uma partitura com o vocabulário da capoeira, visando a elaboração de uma narrativa/resgate que terá como estímulo um jogo que marcou sua vida.

O objetivo da vivência é explorar os princípios básicos da dança na capoeira, aplicando os elementos da dança em sequências do jogo visando criar uma estética coreográfica.

OFICINA: Composição Coreográfica

O corpo como ambiente de autoconhecimento. O Tempo Humano. Entre Cronos (O tempo humano) e Kairós (o tempo divino).

Paco Gomes: Bailarino, coreógrafo, músico e professor. Estuda danças folclóricas e religiosas desde a infância. Graduado em Licenciatura em Dança pela Universidade Federal da Bahia e especialista em Dança-Educação na Universidade do Estado da Bahia. Suas influências incluem Martha Graham, Merce Cunningham, Kurt Jooss e Maria Fux. Atualmente ensina na Universidade Estadual de São Francisco de Música e Dança, na ODC Dança Commons, City Ballet e Dança Mission Theatre. Instagram:@pacogomes3

OFICINA: “O CORPO GESTUAL”

Estela Serrano e Leila Gomes – Cia do Meio

A oficina intitulada “O Corpo Gestual” da Cia do Meio, tem como objetivo valorizar a palavra numa linguagem corporal baseada na mímica e no gestual reverberado, no sistema Cia do Meio de MSM: Mova se; Se Jogue; Mostre se. A oficina trará, como resultado, uma cena que antecede a apresentação de “O Chá de Isa e Dora”.

Cia do Meio é um coletivo de Dança/Teatro, criada em 2011 que tem a direção artística de Leila Gomes e elenco de profissionais de notório saber como: Conceição Santos, Edileuza Santos, Estela Serrano, Helena Mathias, Leila Gomes ,Lina Costas, Rita Lagrota, Sissi de Melo e Stella Campos. Na Cia usamos e abusamos da métrica das palavras, para criar os movimentos, buscando uma abordagem contemporânea e um humor, pouco refinado.

Estela Serrano é pós graduada em coreografia e graduada em Licenciatura em Dança pela Universidade Federal da Bahia. Integrante da “Cia do Meio” e do grupo “Contemporânea Ensemble” com repertório de dança moderna dirigido por Fátima Suarez, com apresentações nacionais e internacionais. Lecionou em diversas escolas e academias de Salvador em destaque a Escola Contemporânea de Dança durante mais de trinta anos. Atualmente é professora de dança da rede municipal e diretora do estúdio Cia2Pilates, atendendo adultos e idosos.

Leila Gomes é bailarina, diretora de Coreografia, produtora, professora de Dança e editora de imagem. Tem mais de 40 anos de experiência em artes cênicas e é formada em Licenciatura e Massoterapia. Ao longo da sua carreira, dirigiu diversos projetos artísticos e colaborou com vários grupos de Dança. Atualmente dirige o Coletivo Cia do Meio e integra o Contemporâneo Ensemble. 

OFICINA: DANÇA ALÉM DO VENTRE

Claudia Hatshepsut

O Ventre é a origem da Vida e “Dançar além do Ventre” é manifestar no corpo o movimento da Vida! Aprenderemos movimentos graciosos, onde a Fluidez Feminina será levada da dança para o seu dia a dia! A Dança do Ventre é a Dança da celebração à Vida! 

Cláudia Hatshepsut trabalha intensamente com a dança do ventre há 23 anos, natural de Salvador, com profunda ligação com o Egito, proporciona para suas alunas uma conexão profunda com o corpo nas aulas e através de diversos eventos como shows, viagens, workshops, grupos de estudos e vivências!

Hoje mora em Lençóis e ministra aulas presenciais e on-line e sessões de terapia emocional. Instagram: @dancecomclaudia

PERFORMANCE:  Afrometáforas: Carne, Movimento e Ancestralidade

HUGO MARTINS

Um solo que espirala no tempo, conecta histórias da diáspora brasileira através de símbolos negros presentes na cultura que insistem em resistir. O corpo como ponto de convergência de contos que nos contaram e das experiências vividas armazena informações preciosas, estratégias de vida e de dança. O fluir da natureza desperta o ato de dançar, trazendo o passado e o futuro abrindo ranhuras no tempo.

Hugo Martins se destaca como um profissional-pesquisador-artista da dança, que dedica sua vida ao estudo e à prática da dança, com foco na sua relação com a cognição, a saúde e a ciência. Sua trajetória como dançarino e pesquisador mostra como a dança pode ser vista como um eixo de perspectiva, que não só leva à emancipação cognitiva e ao autoconhecimento, mas também tem o potencial de transformar, curar e perceber corpo-mente-ambiente.

PERFORMANCE: O Chá de Isa e Dora

O Chá de Isa e Dora, faz parte do repertório da Cia do Meio desde 2018 e teve sua estréia na Jornada de Dança da Bahia, tendo já participado de festivais nacionais e internacionais. A Cia do Meio é um coletivo de Dança/Teatro, criada em 2011 que tem a direção artística de Leila Gomes e elenco de profissionais de Salvador. Hoje, a apresentação conta com a participação e colaboração dos integrantes da oficina “O corpo Gestual” ministrada pelo Cia do Meio durante os 2 dias em comemoração ao Dia D Dança Lençóis 2023.

Alexandre Adas é ator, dançarino, cantor,  circense e performer. Cidadão do mundo, estudou com mestres de várias nacionalidades. Sua abordagem artística faz a fusão das tradições e técnicas que estudou desde a pré-expressividade da antropologia teatral, até o ballet, dança moderna, simbologia dos orixás, passando pelo butoh, tribal fusion, dança burlesca, etc.